Seja bem vindo ao blog "SAÍDA DE EMERGÊNCIA". Este é um blog todo produzido para ajudar a você que decidiu trabalhar em casa. Espero que encontre aqui a ideia que está buscando. Conte comigo. Um abraço da Mell.

CONHEÇA MINHA HISTÓRIA E PORQUE CRIEI ESTE BLOG PARA AJUDAR AS PESSOAS

Meu nome é Melita, mas muitos me conhecem como Mell Santos. Quero muito que você conheça um pouco da minha história de vida, como me tornei uma mulher empreendedora e porque decidi criar um blog para ajudar as pessoas a vencer na vida . Sou mineira, hoje tenho 54 anos, sou dona de casa, divorciada, microempresária e tenho dois filhos que são a minha alegria de viver. Sempre gostei de escrever, mas em 2009 resolvi criar este blog com o objetivo de encontrar e ajudar outras mulheres com histórias parecidas com a minha. Tendo como base a minha experiência de vida, mostro em várias postagens que precisei sozinha, aprender a ganhar dinheiro em casa. A idade e a experiência (mesmo tendo) não colaboraram para que eu conseguisse um emprego fixo, e pensão alimentícia (quando havia) mal dava para os alimentos. Enfim, eu não sou ex-mulher de nenhum jogador de futebol famoso, mas a verdade é que fiquei sozinha com dois filhos pequenos e sem dinheiro. Não foi uma história fácil de ser vivida e só quem passou por isso é que sabe como é doloroso. Assim, me tornei por muito tempo uma "pãe" (pai e mãe), e além de cuidar deles, teria que trabalhar. Sem solução e sem a ajuda de ninguém, por quinze anos me desdobrei para criar, educar e ajudar no sustento dos dois homens da minha vida. O que você faria se tivesse que viver uma situação dessas, viver "tempos de vacas magras"? O que você faria se precisasse trabalhar e não pudesse sair de casa? Enfrentei o abandono de quem eu julgava serem meus amigos, tive momentos de desespero por causa de dívidas e despreparo financeiro, sofri momentos angustiantes e uma depressão muito forte, mas consegui, mesmo com muito sofrimento dar a volta por cima, trabalhando sempre...dentro de casa. Teve que haver uma saída para mim, e eu lhe digo que para você que enfrenta uma situação parecida, também há. Por isso, dei ao blog o título de "SAÍDA DE EMERGÊNCIA" porque tive que descobrir que meu sustento tinha que sair de dentro da minha casa pois além de trabalhar, eu precisava cuidar dos meus meninos, não tinha com quem deixá-los e nem condições para pagar alguém que cuidasse deles para mim. Assim, descobri várias "saídas" para fugir do desespero. Não, não fiquei rica! E nem quero. Sei muito bem que dinheiro ajuda, mas ele pode trazer também muita infelicidade. O dinheiro compra a cama, mas não paga o sono. Desde então, faço de tudo um pouco e nunca fiquei parada. Como o emprego fixo era bem difícil de se conseguir, criei os meus "bicos" até me tornar dona do meu próprio negócio. Por muito tempo o que eu ganhava podia até ser pouco, mas era um dinheiro justo e dava para nós três. Aprendi também a administrar. Ganhei meu dinheiro honestamente e o melhor, dentro da minha casa, tudo formalizado e assim pude cuidar e criar melhor os meus (agora) rapazes! Depois destes anos todos cuidando deles sozinha e sempre trabalhando, agora estamos na fase do quadro se inverter e meus filhos passando a ser responsáveis pela maior parte das nossas despesas, mas assim mesmo continuo ajudando com meu negócio próprio. Hoje, sou uma instrutora de gelados comestíveis e de culinária, consultora de pequenos negócios domésticos e dou cursos pela internet, Meus cursos são reconhecidamente aprovados e já levei muitas pessoas a vencer como eu. Já não ganho apenas uma "renda extra", eu sou uma microempresária de sucesso. E é isso que eu quero para você também. Portanto, as dicas deste blog não tem a finalidade de mostrar que uma pessoa pode ganhar "rios" de dinheiro da noite para o dia, mas, elas podem funcionar como "Saída de Emergência" num momento difícil. No desespero, muitas vezes não conseguimos ver que bem diante de nossos olhos, ou melhor, dentro da nossa casa está a solução, e por isso, vou tentar mostrar que existem grandes oportunidades para trabalhar assim, muitas vezes com pouco ou quase nenhum capital, podendo até mesmo, um dia, estas atividades se tornarem o sustento da sua família. Espero que todo o conteúdo do blog seja de grande utilidade para vocês.

(Acompanhe no final da página - Mudanças no meu Perfil. De acordo com as datas de postagem do blog, vocês verão como fui trabalhando e nos sustentando.
 
É proibida a reprodução total ou em partes de imagens e artigos deste blog em outros blogs, sites ou páginas do Facebook e outras redes sociais sem os créditos devidos ou sem autorização da autora do blog. (Cópias sem créditos caracterizam Plágio. Este crime está previsto no artigo 184 do Código Penal de acordo com a Lei 9.610/98 dos Direitos Autorais)

Aprendi mais uma sobre BRECHÓS...

Bom dia, amados. Hoje venho trazer uma orientação para quem tem um "Brechó" ou "Bazar". Como vcs sabem eu tenho um e nunca tive nenhum problema. Aliás, até quinta-feira passada, quando uma moça que parece agindo de má fá comigo, conseguiu acabar com o meu dia. As roupas do meu brechó são de primeira qualidade, são lavadas e passadas, cheirosinhas e mesmo assim a um preço muito baixo devido à minha escolha de trabalhar para pessoas da minha região, que são gente de classe média a baixa, mas mesmo assim recebo clientes da classe alta, graças a Deus. Eu pensei que já estava inteirada de tudo sobre brechós, mas não, eu estava enganada. Esta moça que trabalha numa padaria aqui perto, saiu do serviço e passou pela minha rua, descobrindo o brechó, entrou e logo foi direto numa jaqueta. Eu fui super atenciosa com ela pois era uma nova freguesa para mim. Ela experimentou e não ficou boa, um pouco apertada e eu disse isso a ela, mas mesmo assim ela resolveu levar. Na hora de pagar, ficou na dúvida se pagava ou não pq disse que precisava do dinheiro. E eu disse: "mas você não tem esse dinheiro agora? É tão pouco!" E ela deu algumas desculpas (já estava agindo de má fé, mas eu não percebi). Mesmo assim, também não dei meu braço a torcer e então ela resolveu pagar. Aliás, saiu usando a jaqueta. Pois bem, duas semanas após a compra, ela adentra o meu brechó brincando comigo, alegre (mas foi uma artimanha) pois logo disse: "Aquela jaqueta que eu levei tá com a manga torta". E eu disse: "Mas vc não viu isso na hora que experimentou? Inclusive eu lhe disse que estava apertada e vc mesmo assim quis levar". A resposta dela: "Não sou eu que tinha que ver o defeito, era você. Como é que vc coloca uma coisa com defeito para vender? Você tem obrigação de trocar prá mim." E aí começou o meu caos, pq eu a informei que não fazia trocas, que o normal em brechós é não fazer trocas, inclusive mostrei a minha placa informando isso, mas ela bateu o pé até acabar com o meu dia, e eu aguentei firme, mas a vontade era "voar em cima dela", kkkkkkkkkkkkkkk. E ela nem tinha trago a jaqueta prá me comprovar o defeito, e outra, claro que eu não falei, mas a jaqueta foi minha e nunca vi nenhuma manga torta! Amigos, que situação a minha. Aquilo acabou com o meu dia, fiquei mal. Só não fiquei pior porque ela foi a única que me ofendeu durante o meu primeiro mês que foi muito abençoado. Aquilo foi um enviado do capeta prá me tentar, Deus me livre! Depois disso, corri em busca de orientação e infelizmente, segundo o Instituto de Defesa do Consumidor, nós que temos brechó não temos proteção mesmo. Somos obrigados a trocar, sim! aff...Portanto, meninas donas de brechó, como eu, sempre avisem suas clientes antes da compra para verificar se tem defeitos na roupa e ANOTEM na notinha o defeito, com cópia para você, caso a venda seja feita assim, pois caso a cliente volte para reclamar você terá a nota para comprovar que ela comprou consciente do defeito, ok? Se insistirem demais, troque. É melhor para não se chatear como eu fiquei chateada e perdi o dia. Os brechós raramente terão uma peça igual para troca, então ofereça alguma peça no mesmo preço, mas tente estipular também uma regra para o seu brechó como eu farei no meu e deixarei bem exposto, como prazo de alguns dias para troca e deixe bem claro também que a peça não pode ter nenhum vestígio de uso e ainda ser devolvida na embalagem, caso tenha. Para o post não ficar grande amanhã colocarei aqui essas regras, ok? Ah, gente, trabalhar com público não é fácil...mas são ossos do ofício, né? Vou ficando por aqui, deixa eu ir à luta. Espero que eu tenha conseguido passar a mensagem certa para vocês e conseguido alertá-las. Todo cuidado é pouco, boa sorte prá todos nós. Um bjo grande da Mell.

AO DEIXAR UM COMENTÁRIO, POR FAVOR, DEIXE UM E-MAIL DE CONTATO PARA RESPOSTA.

11 comentários:

  1. Nossa! essa foi nova pra mim!
    Espero que você já esteja bem e obrigada pelas dicas!
    Acho que nunca cheguei a comentar aqui, embora tenha seus post de cor e salteado na minha cabeça, pq simplesmente AMOOOOO esse blog! rs...

    ResponderExcluir
  2. Poxa Mell que situação desagradável, mas veja pelo lado positivo, vc foi se informar, e aprendeu mais uma coisa.Infelizmente tem pessoas de má índole que agem de má fé com as pessoas de bem, e vc esta certa em alertar e não se deixar abater por isso. super bjs

    Ps.Posso lhe pedir para tirar as letrinhas de confirmação?? As vezes fica difícil de enxergar..bjs

    ResponderExcluir
  3. mel cada uma né ..amiga não liga não isso é coisa de 171 mesmo..gente assim tem aos montes
    bjão boa semana linda

    ResponderExcluir
  4. olá ,trabalhar com publico não é mole não este tipo de cliente sempre vai ter, mais eu vi esta semana o Celso Russomano falando sobre direito do consumidor na Record e ele falou que as lojas de roupas não tem obrigação de trocar só o fazem para agradar o cliente, mais a lei não obriga.bjs

    ResponderExcluir
  5. CADA UMA Q APARECE NÉ AMIGA!... MAIS ENTREGUE NAS MÃOS DE DEUS Q ELE TD FAZ!...BJS...NO CORAÇÃO

    ResponderExcluir
  6. Oi Mell, neste mundo existem muitas pessoas que querem sempre levar vantagens em cima das outras. é demais. A sua cliente tinha tanto a intenção de trocar a peça que nem a levou. Acho q ela queria mesmo era te irritar. Mas uma coisa você tirou de positivo, aumentou com isso ainda mais seus conhecimentos. Impressionante como você faz de um limão uma limonada.rs parabéns.

    ResponderExcluir
  7. NOSSA !!! já comprei em tantos brechós e todos tinham placas de "não aceitamos trocas"...mas não fique chateada, pra quem tem comércio (como meu marido e às vezes fico lá) é complicado...tem dias que são lindos e tem dias que aparece um abençoado disposto a tirar seu sono...
    bjussss

    ResponderExcluir
  8. NILZA SOUSAjaneiro 17, 2013

    OLA MELL.AMEI SUA HISTORIA EU SOU COSTUREIRA GERAL E TAMBEM TRABALHO COM PEÇAS IMTIMAS APRENDI MUIIIITO COM SUAS DICAS NILZA SOUSA,BJS

    ResponderExcluir
  9. Oi, Nilza. Obrigada pela visitinha, vou te esperar mais vezes. Bjos, Deus te abençoe.

    ResponderExcluir


  10. Imagino o que você passou com a cliente malandra, mas vi que soube contornar com classe. Agora, você escreveu que ela tinha "trago"
    a jaqueta, mas o correto é trazido a jaqueta, ok? Trago é outra coisa, tá? rsrsrs.

    ResponderExcluir
  11. Obrigada pela correção e pela visita. Espero sua visita mais vezes. Bjos.

    ResponderExcluir

Antes de comentar, saiba que:

- Antes de serem publicados, os comentários necessitam de aprovação. Ou seja, seu comentário não aparecerá na hora em que você o postou (geralmente, são aprovados em menos de 24h);
- Conteúdo ofensivo, propagandas, e propostas de parceria não serão aceitos nos comentários. No caso de interesse em parceria, entre em contato pelo meu e-mail melitaluzia@hotmail.com

LIBERDADE DE EXPRESSÃO - Também é importante esclarecer que este blog, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Nos referidos textos constitucionais, lê-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX).
A maioria das imagens deste blog foram encontradas na internet, portanto, sao públicas. Mas, se, porventura, alguém reconhecer como sua propriedade, favor entrar em contato comigo para que sejam dados os devidos créditos ou que seja retirado o conteúdo. Obrigada.

.