DIREITOS AUTORAIS - É proibida a reprodução total ou em partes de imagens e artigos deste blog em outros blogs, sites ou páginas do Facebook,, Whats App e outras redes sociais sem os créditos devidos ou sem autorização da autora do blog. (Cópias sem créditos caracterizam Plágio. Este crime está previsto no artigo 184 do Código Penal de acordo com a Lei 9.610/98 dos Direitos Autorais)

22 de junho de 2012

Aprendam com minha amiga Anna Guimarães

Olá, meus amô! Eis-me aqui mais uma vez para trazer um exemplo de pessoa para muitos se espelharem: a minha amiga, já de longa data, Anna Guimarães.

Ela, como muitas de nós, cria sua filha sozinha e enfrenta também o fantasma do desemprego na sua vida. Se empregado já é difícil sustentar uma casa, imagina sem emprego, né? Pois a Anna teve que buscar uma "Saída de Emergência" também logo que ficou desempregada, de uma hora para outra. Enquanto resolvia seus problemas pendentes com a empresa em que trabalhava, ficou por um tempo num salão de cabelereiro e nesse período começou a se interessar por bijouterias, pois tinha habilidade para isso. Como não tinha muitas noções, comprou revistas e algum material para começar. No início isso servia apenas como uma terapia para esquecer um pouco os problemas, só que todos que a conheciam gostaram tanto que começaram a fazer encomendas.
O que a ajudou também foi o crochê, um ofício que ela aprendeu aos 12 anos de idade com sua mãe, que lhe ensinou os primeiros pontos. Anna tem outros talentos, sempre gostou de pintar, de desenhar e como havia aprendido o crochê, se empolgou. O pai vendo o talento dela investiu na compra de linhas e revistas, mas ela não entendia aqueles gráficos. Foi aí que resolveu fazer um curso e aprendeu tudo que precisava, inclusive ler as receitas do crochê. Quando Anna tinha uns 16 anos, sua vó trabalhava de cozinheira numa casa de família e começou a levar as peças que ela fazia, e foi assim que ela começou a ganhar um dinheirinho pois vieram mais encomendas. No ano passado, com a volta do crochê no mercado da moda, Anna lembrou disso e começou novamente a fazer as suas peças. Como ela acha que não tem muito jeito para venda, tem dificuldade para oferecer suas peças, então ela usa os seus modelitos, se tornando sua própria vitrine. Isso atrai o interesse das pessoas que sempre perguntam quem tece as peças e aí ela acaba tendo encomendas quando diz que ela mesma quem faz. Com as bijouterias é a mesma coisa.


Mas Anna confessa que o artesanato é muito desvalorizado, as pessoas gostam de marcas famosas, então fica um pouco difícil vender, mas não impossível. Estas atividades ajudam em muito na sua renda familiar, são realmente uma "Saída de Emergência". Como Anna, muitas mulheres, e até homens podem conseguir uma boa grana fazendo trabalhos em crochê, começando com pouco capital. O que é preciso: Agulha, linha e boa vontade. Amei a história da minha amiga, espero que vcs também tenham gostado e que ela sirva de inspiração. Que Deus te abençoe sempre, Anna. Continue sendo essa mulher batalhadora pois Deus contigo está.
Quem quiser conhecer mais sobre os trabalhos da Anna, visite o seu blog http://barbarasbijus.blogspot.com.br/
Um bjo da Mell para todos.

AO DEIXAR UM COMENTÁRIO, POR FAVOR, DEIXE UM E-MAIL DE CONTATO PARA RESPOSTA.

.