DIREITOS AUTORAIS - É proibida a reprodução total ou em partes de imagens e artigos deste blog em outros blogs, sites ou páginas do Facebook,, Whats App e outras redes sociais sem os créditos devidos ou sem autorização da autora do blog. (Cópias sem créditos caracterizam Plágio. Este crime está previsto no artigo 184 do Código Penal de acordo com a Lei 9.610/98 dos Direitos Autorais)

30 de março de 2014

Cinco coisas que aprendi tendo um brechó...

Meu Brechó - CLIQUE PARA VISUALIZAR MELHOR
Ei, genteeeeee!!!!! Domingão meio chuvoso dá uma preguiça, viu? Mas eu tô aqui enrolando mesmo, então o jeito é arrumar alguma coisa prá fazer, por isso vou postar no blog, kkkkkk. Às vezes eu fico meio sem assuntos para trazer, não gosto muito de repetir temas, por isso não é muito fácil. Estou no meu brechó agora, meu computador fica aqui e estou de frente às minhas roupas. Meu estoque está precisando ser trocado, sabe? Mas como meu tempo anda curto, não tenho saído para garimpar, pois hoje estou sem fornecedores e preciso comprar peças para repor. Aliás, já até disse que vendo só quando tenho tempo de parar aqui, né? Isso pq invento de ganhar dinheiro em várias áreas...Tenho estoque, é muita roupa, só que para minhas clientes elas já estão batidas. Elas querem coisas diferentes. Para elas pode não ser novidade, mas para quem não viu as peças, é claro que é, por isso estou tipo assim...vendendo tudo por preço ainda baixíssimo, peças de R$ 1,00 a R$ 3,00 no máximo. Tudo de boa qualidade, sem defeitos, lavadas e passadas. Quem quer comprar? Preciso vender pq preciso do espaço para colocar outras. Se vc mora na região metropolitana de Belo Horizonte/MG, me deixei um recado se tiver interesse. Olhando estas roupas lembro-me de algumas coisas que aprendi tendo um brechó. E vou passar estas dicas prá quem quer se aventurar nesta área. Anote aí pq quem fala é a voz da experiência:

1 - Compras e Trocas - Se vc tem um fornecedor de roupas, então não compre de ninguém. Falo isso, pq se vc der uma brecha comprando do primeiro que aparecer na sua porta, sempre haverá um querendo fazer isso. O resultado é que vai aparecer gente só querendo vender e essa pessoa nunca vai comprar. Então, diga a ela que você só compra se precisar. Se estiver precisando de alguma peça, pergunte se ela tem e se vc ver que vale a pena, então compre. Faça o mesmo em relação a TROCAS. Só troque se compensar, se for uma peça que vc está precisando para outra cliente.

2 - Pegue roupas consignadas - Se a pessoa quer vender e vc não vai comprar, ofereça a ela a opção de deixar em consignação com você. O ruim do consignado é que geralmente é mais caro pq vc vai ter que vender um pouco acima do seu preço normal, pois precisa de uma comissão. Combine com a pessoa de voltar um tempo depois, tipo 30/60 dias para ver se vendeu, pois senão ela todo dia vai estar na sua porta perguntando: "Vendeu alguma coisa?". Vai por mim, acreditem, elas fazem isso mesmo. Eu que o diga, kkkk Tenho um modelo de CONTRATO DE CONSIGNAÇÃO. Se quiser, me peça que envio prá vc.

3 - Roupas bregas e que não fazem o seu estilo - Entenda uma coisa: seu brechó pode ter peças maravilhosas, mas ele também precisa de roupas feias, sabe por quê? Porque TUDO absolutamente se vende. Aquilo que vc pensa que não vai vender é isso aí que mais se vende ok? Doei muita roupa pro povo da roça onde meu pai mora, eram roupas que eu achava super bregas, ternos, roupas muito coloridas, floridas, mas um tempo depois, quando adquiri clientela maior, descobri que precisava de todas aquelas peças, mas aí já era tarde. Quem compra: os gays, os emos, os góticos, algumas religiosas que só usam saias compridas, enfim tudo que achei que EU não usaria, eu doei, mas depois consegui clientes que pagariam caro por aquelas roupas. Não temos que olhar o nosso gosto, mas lembrar que gosto e estilo, cada um tem um, certo? Então, não se desfaça de nada por achar que não vende, pq VENDE SIM!

4 - Bolsas e Calçados - Eu não sabia, mas aprendi isso tendo um brechó: bolsas e calçados tem prazo de validade. É verdade, tenho um montão de sapatos e bolsas aqui e vou doar. Estão ótimos, mas para venda não dá. Já tive um caso aqui de um tamanco que vendi, estava novo, na caixa. Eu fiz uma troca com ele. Peguei o par de tamancos de uma cliente e trocamos por alguma outra peça que ela levou. Outra cliente comprou os tamancos. Algum tempo depois ela voltou com ele. Na segunda vez que usou, as tiras soltaram. Conclusão: era novo, na caixa, mas como estava guardado há muito tempo, soltou com facilidade as tiras. Fiquei com a cara grande e para não devolver o dinheiro, permiti que a cliente pegasse roupas no lugar dele. O mesmo aconteceu com uma bolsa que uma cliente deixou aqui consignado. Oito dias depois ela voltou com a bolsa toda "esfarelando" o tecido. Nos dois casos, perdi dinheiro, pq tive que dar peças em troca no caso do tamanco, e no caso da bolsa, tive que devolver o dinheiro.

5 - Brechó funciona como loja normal - Muito cuidado, já falei isso aqui no blog: na hora da venda, por serem peças usadas, diga ao seu cliente para olhar se não tem nenhum defeito, porque se ele voltar com a peça depois reclamando, vc vai perder. Então, peça a ele ou ela para olhar na hora da compra. Como numa loja de roupas novas, o cliente só tem direito de troca se o defeito for um vício oculto, quer dizer, um defeito que nem você, nem ele viram. Se a pessoa saiu da loja sabendo do defeito, ela não tem direito de troca. Nesse caso, faça uma notinha com duas vias, especificando o defeito e peça a assinatura da pessoa. Se ela voltar reclamando, vc mostra a notinha e diz que ela sabia da existência dele e por isso vc não tem obrigação de trocar.
Bom, lembrei disso. Se porventura me lembrar de outras dicas, passo procês, ok? Mas brechó é tudo de bom e dá um bom dinheiro. Um bjaum prá todo mundo. Ótima semana.


Ao comentar, aguarde resposta na mesma postagem. Deixe e-mail de contato se quiser resposta fora do blog

.